Em Parintins, projeto comemora 22 anos de existência incentivando a leitura por meio de atividades lúdicas

O ‘Sexta de Leitura’, da Escola Estadual Gentil Belém, reúne o conteúdo aprendido durante o período em diversas apresentações

Foto: Euzivaldo Queiroz / Secretaria de Estado de Educação e Desporto Escolar

No município de Parintins (a 369 quilômetro de Manaus), um projeto de incentivo à leitura está completando 22 anos de existência. Desenvolvido na Escola Estadual Gentil Belém, o “Sexta de Leitura: A feira de textos”, aborda a importância da leitura em todos os aspectos da vida, com um aprendizado lúdico e divertido para os estudantes.

Realizado com os alunos do 1º ao 9° ano do Ensino Fundamental, o projeto idealizado no ano de 2002, à época pelo professor Raimundo Magno, da disciplina de Língua Portuguesa, consiste em uma atividade bimestral, em que os estudantes reúnem todas as atividades realizadas naquele período, em uma apresentação cultural interdisciplinar, com dança, música e apresentações teatrais.

A diretora da EE Gentil Belém, Maria do Carmo, explicou que entre todos os projetos desenvolvidos pela escola, o “Sexta de Leitura” é considerado o de maior destaque. Segundo ela, a leitura não é apenas textual, mas também uma leitura de mundo. Ela ressaltou, ainda, que unir as apresentações culturais à leitura permite o desenvolvimento dos alunos também como cidadãos.

“Nós trabalhamos o projeto integral com atividades diversificadas, em que a leitura se faz presente e o aluno vai entender o quão importante é para ele saber ler e assim escrever sua própria história”, comentou a diretora.

A leitura e o lúdico em comunhão

Todas as atividades do projeto têm como base principal o trabalho de incentivo à leitura e à utilização do processo de ensino e aprendizagem de forma criativa. Dividindo-se entre tópicos, cada turma utiliza um gênero textual, seja conto, receita, entre outros; e, a partir disso, os alunos produzem uma atividade dinâmica a ser apresentada durante a última sexta-feira do bimestre, desde jogos, até apresentações de fantoches.

A professora de Língua Portuguesa, Eliana Campos, explicou que essas atividades, além de permitirem a integração entre as atividades dinâmicas e a leitura, também possibilitam uma aproximação da escola com os pais, visto que os familiares acompanham as apresentações dos alunos.

“As crianças leem com os pais e são acompanhadas pelo professor. Nosso objetivo principal é que eles se consolidem com o ato de ler e que, em casa, os pais também tenham esse entendimento, participando junto com os filhos da atividade”, ressaltou a professora.

A aluna Ana Rafaela, 7 anos, do 1° ano do Ensino Fundamental foi uma que se apresentou durante a última “Sexta de Leitura”. A turma dela apresentou o teatro de fantoches. Para a estudante, que gosta de falar e ler, foi uma atividade muito divertida.

“Eu gosto de falar no teatro de fantoches e falar sobre o fantoche de Emília. Eu estou aprendendo a ler e já aprendi a montar palavras com ‘lh’, ‘nh’ e ‘ch’, todo mundo tem que estudar, ler muito e gostar de teatro de fantoche”, disse a aluna.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui