AMAZONAS – O  presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado David Almeida comemorou a realização de uma diligência da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal, que começa na próxima segunda-feira (15) para verificar as obras de manutenção da rodovia BR-319 (Manaus-Porto Velho).

David lembrou que essa iniciativa é resultado de uma ação da própria Aleam que, em dezembro passado, organizou uma caravana composta por quatro deputados estaduais e uma vereadora de Manaus, para percorrer os 820 quilômetros da estrada.

“Na caravana, conferimos as condições físicas da estrada e as condições sociais dos moradores do entorno da rodovia. Pela primeira vez em quase 40 anos, a Assembleia Legislativa, de forma institucional, adotou uma iniciativa dessa amplitude para demonstrar de maneira clara e direta que é a favor da imediata pavimentação da BR-319”, destacou o presidente.

 “E é por isso que hoje apoiamos a iniciativa do Senado Federal”, completou ele.

David Almeida argumenta que é preciso tirar o Amazonas do isolamento e, além disso, atender as populações espalhadas ao longo da rodovia. “Essa estrada exerce influência sobre 10 municípios amazonenses: Careiro da Várzea, Autazes, Manaquiri, Careiro Castanho, Borba, Beruri, Manicoré, Tapauá, Humaitá e Canutama”, lembrou o presidente, “com centenas de pequenas comunidades espalhadas ao longo dos 800 quilômetros. A maioria não tem energia elétrica, não tem como escoar produção, não tem acesso a Educação, Saúde, atendimento médico de urgência e outros serviços básicos. Isso não é justo, nem humano”, completa.
O parlamentar observa também que existem estudos que indicam que a recuperação da BR-319 não vai causar o desmatamento desenfreado anunciado. “As áreas no entorno da rodovia não são áreas agricultáveis, porque a rodovia, inaugurada em 1973, foi construída com aterro a partir de 1968, sobre uma região de brejo”, apontou David Almeida. “Além disso, toda a extensão da BR-319 está protegida por áreas de proteção ambiental. Então, quiseram nos fazer acreditar que haverá desmatamento, mas não haverá”, argumenta o presidente, acrescentando que a Zona Franca de Manaus pode escoar sua produção por via terrestre, reduzindo de 12 para sete dias o tempo de viagem de uma carga de Manaus para São Paulo. “A pista já existe, tem boas condições e não é preciso derrubar uma única árvore para fazer o asfaltamento”, assegura o presidente.
Na vistoria que o Senado Federal fará, entre os dias 15 e 18 de janeiro, a Assembleia Legislativa será representada pelos deputados Platiny Soares (DEM) e Adjuto Afonso (PDT), que é do mesmo partido do senador Acir Gurgacz (PDT-RO), autor do requerimento da diligência.
Programação
Dia 15 de janeiro (segunda-feira) – Porto Velho/ Humaitá
15h – Concentração para saída da diligência – Pátio da Rede TV!/Diário da Amazônia – Av. Calama, esquina com Rafael Vaz e Silva, Nº 2666, Bairro Liberdade, Porto Velho.
15h30min – Deslocamento para Humaitá. Pernoite em Humaitá.
Dia 16 de janeiro (terça-feira) – Humaitá/Manaus
5h – Saída de Humaitá (AM) – Humaitá (AM) – Manaus (AM) 630 km
Dia 17 de Janeiro (quarta-feira) – Manaus
Dia 18 de janeiro (quinta-feira) – retorno a Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here