Para uma conversa preliminar a respeito do projeto da Eneva SA, de exploração de gás natural e produção de energia termoelétrica no Estado do Amazonas, no Campo de Azulão (Silves e Itapiranga), com investimento inicial previsto em R$ 1 bilhão, o presidente Josué Neto (PSD) recebeu na manhã desta sexta-feira (8), o diretor da área de regulação de energia e relações institucionais da empresa, Lucas Ribeiro, acompanhado do gerente jurídico Leonardo Fonseca e do coordenador tributário Bernardo Valois.

Após a reunião na sala da presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), o presidente Josué Neto esclareceu que o motivo da visita é a busca de garantias jurídicas para a empresa se instalar no Amazonas, principalmente levando em conta a legislação ambiental de proteção à floresta amazônica. “E como o papel da Assembleia Legislativa é ajustar, dentro da legalidade, os regulamentos jurídicos criados pelo governo para recepcionar investimentos dessa natureza, nós estamos à disposição para ajudar”, disse.

Em novembro de 2017, a Eneva SA, por meio de sua subsidiária Parnaíba Gás Natural SA, empresa do grupo alemão E.ON, que atua em geração, venda e logística de energia elétrica, adquiriu a totalidade da participação da Petrobras no campo de Azulão, pelo valor total de US$ 54,5 milhões (hoje R$ 203,285 milhões). Agora a empresa trabalha para viabilizar um projeto de aproveitamento do potencial desse campo, que é um dos mais promissores da Bacia do Amazonas.

De acordo com o presidente Josué Neto, a Eneva tem procurado o diálogo com o governo do Estado e com a Assembleia Legislativa, com vistas a viabilizar o investimento de R$ 1 bilhão previsto para o Amazonas, e terá o apoio do Legislativo para investir no Estado, que precisa de mais investimentos para trazer mais emprego e mais renda para a população amazonense. “Essa é uma expectativa extremamente positiva e qualquer investimento é muito bem vindo, porque vai gerar mais arrecadação de impostos, de royaties e mais serviços e empregos”, disse.

Falando em nome do grupo, o diretor Lucas Ribeiro explicou que o objetivo de conversar com Assembleia Legislativa visa a possibilidade de viabilizar a implantação do projeto na Bacia do Amazonas, onde já possui o campo de Azulão. “A ideia é tornar Azulão uma âncora de desenvolvimento no interior do Estado, na região de Silves e Itapiranga, e também conversar sobre as potencialidades do Estado e apresentar as perspectivas da companhia na região, pensando no interior de uma forma integrada”, afirmou.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here