O deputado federal eleito, Marcelo Ramos (PR), disse ontem, em resposta ao prefeito de Manaus, Arthur Neto, que sua atitude é de um “cinismo e oportunismo, que sempre marcaram a sua vida pública”. Em mensagem, Arthur Neto criticou Amazonino Mendes, acusando o candidato e a polícia do Amazonas de “forjar” denuncia de compra de voto para Wilson Lima, por um traficante. Marcelo mandou um recado para Arthur Virgílio: “Arthur, o povo de Manaus cansou da tua conversa fiada, da tua incapacidade de administrar a cidade. Toma vergonha. O teu fim tá muito próximo. O povo de Manaus não te suporta mais. Você deveria abandonar a prefeitura, renunciar. E dar chance pra Manaus retomar um caminho de renovação de prosperidade”.

Marcelo Ramos disse ser “impressionante o cinismo e oportunismo que são marcas da vida publica dele. O cinismo de se meter num assunto em que ele já foi escorraçado”, disse, ressaltando que o povo de Manaus “escorraçou” o prefeito Arthur Neto já no primeiro turno da eleição”. O povo de Manaus já disse, segundo Marcelo Ramos, que não quer nem ele e nem ninguém dele perto da política. “Todos os seus candidatos, absolutamente todos, que tiveram qualquer identificação com ele, foram vergonhosamente derrotados”.

O deputado diz ainda na mensagem que “o oportunismo de quem foi fragorosamente derrotado, ridiculamente escorraçado pelo povo de Manaus, tenta se agarrar, a todo custo e de forma oportunista, a uma possível vitória que não é dele”.
No final da mensagem Marcelo Ramos Dispara: “Arthur, Você há muito tempo tenta disfarçar a sua incompetência política e administrativa tentando criar factóide eleitoral. O factóide eleitoral que te marca, nesta eleição, foi a derrota fragorosa no primeiro turno de todos os seus candidatos. Não tem mais espaço pra ti Arthur. Esquece”.

Repúdio
A cúpula da Polícia Civil do Amazonas, instituição integrante do Sistema de Segurança Pública, também se manifestou contra as declarações do prefeito Arthur Neto. Publicou nota de repúdio dizendo reiterar seu compromisso de polícia judiciária para com a sociedade amazonense, repudiando as acusações “levianas” à instituição de auxiliar a campanha do atual governador, Amazonino Mendes. E a nota esclarece:

Na sexta-feira (19/10), a instituição deflagrou, em conjunto com a Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) e Corregedoria Geral do Sistema de Segurança, em Codajás, a operação “Navalha”, a fim de desarticular um esquema de corrupção e tráfico de drogas naquela localidade. Na ocasião, o narcotraficante Diellisom Weendril Alves Pinheiro, o “Didi”, foi preso com armas e uma quantia de R$ 17 mil, no qual declarou em oitiva que o dinheiro seria utilizado para fins eleitoreiros. Com esse fato novo, todas as provas foram encaminhadas para os órgãos competentes, Polícia Federal e Ministério Público Eleitoral, para que sejam objeto de investigação. Lamentavelmente, constatou-se ainda que a delegada, Alessandra de Souza Braga, também tinha participação no esquema. Cumprindo nosso papel de polícia judiciária, efetuamos a prisão da servidora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here