Projeto do Programa Ciência na Escola alia tecnologia e aprendizagem da Matemática

O celular se tornou um item indispensável na vida da maioria das pessoas. A cada instante, novos aparelhos e produtos são lançados no mercado. Mas, como unir essa tecnologia ao ensino? Esse foi o questionamento feito pela professora de Matemática Kleid Melo de Souza. Para atrair a atenção dos alunos e deixar as aulas mais dinâmicas, ela apostou na utilização de um aplicativo, o Kahoot, ferramenta de ensino gratuita que incentiva o aluno a estudar e também a competir, estimulando o conhecimento adquirido na sala de aula.

O projeto foi realizado com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa Ciência na Escola (PCE), edital 003/2019, com 45 alunos do Ensino Fundamental II da Escola Estadual Profª Leonilla Marinho, no bairro Parque dez, zona centro–sul de Manaus.

A ideia do projeto foi fazer com que os estudantes usassem o celular não apenas para acessar as redes sociais e jogos, mas também para outras atividades que trouxessem retorno positivo para a vida do aluno – e a ação deu certo. O uso da tecnologia permitiu aliar os conteúdos teóricos da disciplina com a prática. Também foi possível identificar quais áreas precisavam ser mais trabalhadas e as dificuldades enfrentadas pelos alunos.

“Eu crio os questionários e os estudantes respondem online, usando o dispositivo conectado à internet no celular ou no tablete. Por meio de um código, eles respondem às perguntas. Quem acerta, pontua, mas quem acerta mais rápido, consequentemente pontua mais também. Essa dinâmica do jogo acaba tornando a aula mais competitiva”, conta a professora.

Segundo Kleid, a tecnologia garante envolvimento total da turma, transformando a sala de aula em um game show. Após o projeto, os alunos conseguiram fazer as atividades propostas em cada aula de forma dinâmica e interativa.

“O projeto teve resultado totalmente positivo. Por ser uma geração antenada às novas tecnologias, tentei instigar o interesse deles e consegui implantar a sala de aula invertida, porque eles preparavam em casa as atividades para dominar os conteúdos. O PCE me proporcionou isso de poder melhorar o ensino em sala de aula”, comenta.

A evolução do aluno em sala e o espírito competitivo trazem a vontade em querer aprender mais, comenta a aluna Evelyn Beatriz Soares Amorim. “A participação e interação durante a aplicação da atividade é algo divertido, que torna o ensino prazeroso”.

Kahoot – O aplicativo é uma plataforma tecnológica gratuita bastante eficaz, e é aplicado em sala de aula na forma de game quiz. Foi criado em 2013 com base em jogos com perguntas de múltipla escolha, o que permite aos educadores e estudantes pesquisar, criar, contribuir e partilhar conteúdos e conhecimentos, funcionando em qualquer dispositivo tecnológico conectado à internet.

Programa – O PCE é desenvolvido pela Fapeam em parceria com a Secretaria de Estado de Educação e Desporto e a Secretaria Municipal de Educação (Semed). Pioneiro no país, o Programa aproxima a ciência do ambiente escolar e desperta a vocação científica entre professores e estudantes da educação básica no Amazonas.

.

.

.

Fotos: Érico Xavier

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here