Hamilton vence de ponta a ponta o GP da Hungria

Lewis Hamilton venceu de ponta a ponta o Grande Prêmio da Hungria deste domingo. A corrida foi a terceira da temporada 2020 da F1, atrasada pela pandemia do coronavírus. Hamilton soma agora 86 vitórias e se aproxima do recorde de 91 de Michael Schumacher. O britânico foi o pole position, venceu a corrida, conseguiu a volta mais rápida e novo recorde do Hungaroring – 1:16.627s.

Max Verstappen, da Red Bull, foi o segundo colocado – mesmo após seu erro na volta de formação, quando o holandês bateu a caminho do grid. A Red Bull fez um trabalho excepcional arrumando a suspensão de Verstappen em cerca de 20/30 minutos.

Valtteri Bottas, que fez uma largada ruim caindo para a sétima posição, se recuperou para completar o pódio. Além do pódio, apenas Lance Stroll, quarto colocado, terminou a corrida na mesma volta do líder Hamilton.

Sebastian Vettel conseguiu uma boa sexta posição para a Ferrari, enquanto Leclerc travou uma disputa intensa pela P10 com Carlos Sainz nos estágios finais da corrida. O monegasco não conseguiu se segurar e Sainz conseguiu um ponto para a McLaren na Hungria. Norris foi apenas o 14º.

À frente de Vettel, Alexander Albon somou bons pontos para a Red Bull na quinta posição, depois de superar o tetracampeão nas últimas voltas da corrida. Sergio Pérez, que não largou bem no molhado Hungaroring, foi o sétimo colocado.

Daniel Ricciardo (Renault), Kevin Magnussen (Haas) e Sainz (McLaren) completaram a zona de pontuação. Pierre Gasly, da AlphaTauri, teve um problema em seu motor Honda e foi o único a não completar a corrida.

A Fórmula 1 retorna no dia 2 de agosto com o Grande Prêmio da Grã-Bretanha, quarta etapa da temporada 2020 da Fórmula 1. A F1Mania estará AO VIVO e em TEMPO REAL com todas as informações da F1 em Silverstone.

A corrida

Com a pista molhada, os pilotos largaram com os pneus intermediários, mas isso se mostrou uma decisão errada logo que a largada foi dada. Bottas fez uma largada ruim e despencou da segunda para a sétima posição.

A Ferrari largou bem, assim como Max Verstappen que largou em sétimo e já era o terceiro na segunda curva. Enquanto isso, Stroll se segurou em segundo. Perez também não fez uma boa largada e caiu para a sétima posição. Lá na frente, Hamilton já abria 3,6s para Stroll.

No fim da segunda volta, os pilotos foram para os boxes trocar seus compostos para pneus slicks, com o trilho seco na pista. Leclerc e Bottas foram um dos primeiros a trocar os compostos, Bottas com os médios e Leclerc optou pelos macios.

Verstappen ficou na pista e parou para trocar pelos médios duas voltas depois e com isso assumiu a P2. A Haas que parou cedo ocupava a P3 e a P4 com Magnussen e Grosjean, respectivamente. Eles pararam na volta de apresentação – caíram para último e ocupavam as posições na frente.

Na volta cinco, Latifi teve um pneu durado e perdeu muitas posições. Enquanto Bottas pressionava Leclerc pela sexta posição.

Vettel caiu para P9 porque ele perdeu muito tempo nos boxes – ele entrou num momento em que muita gente estava entrando, então teve que ficar parado esperando os outros carros passarem.

Na volta sete, Stroll ultrapassou Grosjean para assumir a quarta posição. Kimi Raikkonen recebia uma penalidade de cinco segundos por largar fora da posição do grid.

Uma volta depois, Bottas tentou passar Leclerc na curva 1, mas o monegasco deu o troco e se segurou na posição, mas não conseguiu o mesmo uma volta depois. Nicholas Latifi recebia 5 segundos de punição por ter saído de maneira insegura dos boxes.

Algumas voltas depois, no 12º giro, Hamilton já tinha mais de 10 segundos de vantagem para Verstappen. Bottas continuava sua corrida de recuperação e ultrapassava Magnussen pela quarta posição, enquanto Vettel era superado por Albon.

Stroll continuava sua pressão, mas não conseguiu passar por Magnussen, enquanto a Mercedes avisava para Hamilton “usar os pneus livremente” já que era esperada mais chuva em poucas voltas.

Na volta 16, Stroll conseguiu fazer a manobra sobre Magnussen. Pierre Gasly abandonou depois que seu AT01 soltou uma fumaça branca pelo motor, que havia sido trocado já no final de semana. Duas voltas depois, Albon pressionava Leclerc e conseguiu a ultrapassagem na curva 1, trazendo com ele Vettel.

Leclerc sofria pressão de Perez e cobrava a Ferrari pelo rádio: “Cadê a chuva que vocês falaram que vinha? Eu preciso trocar de pneus!” Leclerc formava uma fila atrás deles e tinha que se defender dos ataques de Perez. Na volta 21, Leclerc parou e colocou os pneus duros.

Na volta 26, foi notificado que a Red Bull está sob investigação por ter secado de maneira artificial a posição de largada de Alex Albon.

Leclerc voltou no fim do pelotão e pressionava Norris pela P14, mas o britânico da McLaren se defendia muito bem. Vettel se aproximava de Grosjean, mas foi para os boxes calçar os pneus duros. Albon passava Grosjean na freada da Curva 1 e assumia a quinta posição, os dois chegaram a se tocar levemente.

Depois de algumas tentativas, foi na volta 33 que Leclerc conseguiu ultrapassar Norris para assumir a P13. Um giro depois, Bottas parou nos boxes e trocou seus pneus médios. O finlandês fez essa parada para tentar fazer o “undercut”, como é chamada essa manobra em que o piloto de trás entra nos boxes para tentar ganhar a posição após a parada do piloto da frente.

Na 35, Hamilton reportou alguns pingos em sua viseira, enquanto alguns pilotos seguiam suas estratégias e paravam para trocar os compostos desgastados, mas por outros slicks.

Stroll parou uma volta depois e foi superado por Bottas, que teve sucesso em seu ‘undercut’.

No giro 37, Verstappen e Norris foram para os boxes e optaram por manter os pneus slicks. Verstappen voltou na frente de Magnussen, na quarta posição. Hamilton fez sua parada na volta 38, trocando os médios por novos do mesmo composto.

Bottas fazia melhor volta atrás de melhor volta com seus pneus novos e tentava se aproximar de Verstappen na P2. A diferença neste momento era de 7,2s. Uma volta depois, na volta 39, a diferença caiu para 5,6s.

Perez assumiu a nona posição depois de ultrapassar Magnussen. Na volta 41, o top 10 era: Hamilton, Verstappen, Bottas, Stroll, Ricciardo, Sainz, Vettel, Albon, Perez e Magnussen.

A diferença entre Bottas e Verstappen continuava caindo e já era de 4,3s na volta 41, quando Sainz parava nos boxes para fazer sua última parada. Uma volta depois, caia para 3,6s.

Latifi errou na curva 5 e foi para a área de escape, a bandeira amarela foi dada no local. O canadense já ocupava a última posição do grid.

Na volta 44, Hamilton colocou uma volta sobre Leclerc. Apenas nove pilotos estavam na volta do líder. Ricciardo era o quinto colocado, mas havia feito somente uma parada. O australiano então foi aos boxes novamente e voltou em nono, à frente de Leclerc.

Verstappen enfrentava uma longa fila de retardatários, o piloto da Red Bull conseguia abrir o DRS e precisava negociar boas manobras para não perder a posição para Bottas.

Ricciardo, com pneus novo, ultrapassava Magnussen e assumia a P8. Ocon ultrapassava Grosjean pela P13.

Bottas estava pouco mais de um segundo atrás do Verstappen, mas não conseguiu aproximação suficiente para tentar a ultrapassagem. O finlandês então resolveu ir aos boxes e trocar por pneus duros novos, na tentativa de passar Verstappen nas voltas finais do GP da Hungria.

Enquanto isso, na volta 51, Sainz pressionava Leclerc pela última posição dentro da zona de pontuação.

Stroll foi para os boxes na volta 53 e conseguiu voltar na mesma posição: quarto lugar à frente de Vettel, que era pressionado por Albon.

Bottas voltava em um ritmo alucinante, fazendo melhor volta atrás de melhor volta. Na volta 54, a diferença para Verstappen era de 17 segundos.

Hamilton sobrava muito lá na frente e dava uma volta no sexto colocado Albon, antes de colocar uma volta de vantagem sobre o quinto colocado Vettel. Apenas Hamilton, Verstappen, Bottas e Stroll estavam na mesma volta.

Kyat era o 12º e uma fila se formava atrás do russo na volta 66. Ocon e Norris pressionavam o piloto da AlphaTauri.

Ainda tinha tempo para Hamilton tentar a melhor volta da corrida. O britânico foi para os boxes e voltou com pneus macios para tentar mais o ponto da volta mais rápida da corrida.

Na volta 68, Albon aproveitou um erro de Vettel e passou o alemão pela quinta posição. Bottas se aproximava perigosamente de Verstappen, a diferença era de 1,7s.

Hamilton então marcou 1:17.497s na volta 69, a melhor volta da corrida, garantindo o ponto extra. Antes de melhorar para 1:16.627s na última volta, registrando o novo recorde da corrida.

Na última volta, Bottas tentava atacar Verstappen pela segunda posição. A diferença entre os dos pilotos era mínima, mas o holandês se segurava firme e cruzava a linha de chegada na segunda posição.

Atualização: horas depois do fim da corrida, a dupla da Haas foi punida por terem recebido ajusta externa antes da largada e tiveram adicionados 10 segundos ao tempo final, derrubando Kevin Magnussen da 9ª para 10ª posição e Romain Grosjean da 15ª para 16ª posição.

 

Confira o resultado final do Grande Prêmio da Hungria 2020 de F1:

1) Lewis Hamilton (Mercedes)
2) Max Verstappen (Red Bull/Honda)
3) Valtteri Bottas (Mercedes)
4) Lance Stroll (Racing Point/Mercedes)
5) Alexander Albon (Red Bull/Honda)
6) Sebastian Vettel (Ferrari)
7) Sergio Pérez (Racing Point/Mercedes)
8) Daniel Ricciardo (Renault)
9) Carlos Sainz Jr. (McLaren/Renault)
10) Kevin Magnussen (Haas/Ferrari) *
11) Charles Leclerc (Ferrari)
12) Daniil Kvyat (AlphaTauri/Honda)
13) Lando Norris (McLaren/Renault)
14) Esteban Ocon (Renault)
15) Kimi Räikkönen (Alfa Romeo/Ferrari)
16) Romain Grosjean (Haas/Ferrari) *
17) Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari)
18) George Russell (Williams/Mercedes)
19) Nicholas Latifi (Williams/Mercedes)
OUT) Pierre Gasly (AlphaTauri/Honda)

Confira o destaque do nosso canal no YouTube: F1Mania Em Dia 17/07/2020 – GP da Hungria de F1: primeiros treinos e expectativas para a corrida:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here