PF pede para investigar Toffoli, mas STF deve engavetar o pedido para proteger o colega, afinal eles são deuses da verdade e lisura, quiçá imortais da verdade

A Polícia Federal encaminhou um pedido de abertura de inquérito ao Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o ministro Dias Toffoli por suspeita de recebimento de repasses ilegais. É lógico que tudo deve acabar em pizza, afinal os colegas devem engavetar o pedido para proteger o suspeito, afinal estamos falando de deuses da lisura.

Com base no depoimento do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que em delação premiada declarou que Toffoli recebeu R$ 4 milhões para favorecer dois prefeitos da capital carioca em processos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o pedido foi feito.

Condenado a mais de 200 anos de prisão pela Justiça em processos relacionados a Operação Lava Jato, Cabral cumpre pena desde 2016. Em fevereiro do ano passado, teve acordo de delação premiada homologada pelo ministro do STF Edson Fachin.

Ainda segundo o ex-governador condenado, os repasses envolvem o escritório de advocacia da mulher de Toffoli, Roberta Rangel.

Investigado pelo crime de corrupção passiva, Toffoli disse em nota divulgada pela assessoria desconhecer os fatos mencionados e negou ter recebido repasses ilegais.

Os documentos do caso foram enviados ao relator do caso, Edson Fachin, na semana passada que, agora, encaminhou a Procuradoria-Geral da República (PGR).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here