Dia de Campo apresenta tecnologias para plantio de banana em Presidente Figueiredo

Agricultores do município de Presidente Figueiredo (a 117 quilômetros de Manaus) participaram, nesta terça-feira (04/02), do Dia de Campo realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com o Sistema Sepror. Nesta edição do programa, produtores rurais conheceram tecnologias para a produção de banana no município.

A atividade reuniu 80 agricultores da Comunidade Ramal do Paulista. Os produtores rurais receberam, de técnicos e pesquisadores, orientações para o plantio de banana com instruções para abertura de covas e adubação de cobertura, desperfilhamento, remoção de folhas, capina, cuidados na colheita, controle de pragas e irrigação, entre outros.

Capacitar os agricultores, de acordo com o engenheiro agrônomo da Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror), Luiz Herval, é o caminho para tornar a atividade mais rentável.

“É uma oportunidade para repassar informação. Muitos agricultores implantam a cultura da banana com conhecimento familiar, e o Dia de Campo oferece um formato diferente, com pesquisas. A intenção maior é a parte econômica, como por exemplo aumentar o número de plantas em uma área e ter rentabilidade. A tendência é que o produtor invista mais, já que o Amazonas ainda importa uma quantidade de banana de outros estados”, explica o engenheiro agrônomo. Hoje o Amazonas compra banana de Roraima, Acre e Rondônia para suprir o consumo interno.

O agricultor José Reginaldo Borges, que preside a Associação Comunitária dos Micro e Pequenos Produtores do Ramal do Paulista, espera aumentar a produção de banana na comunidade. “O produtor espera conhecimento, precisamos de técnica. Quanto mais produtores tiverem um bananal desenvolvido com técnica, mais a produção vai aumentando. Hoje temos dois caminhões de banana saindo para a feira, mas acredito que vão sair quatro ou até seis”, projeta, sobre a produção semanal da comunidade.

Pesquisa – As técnicas de plantio de banana passadas aos agricultores são resultado de pesquisas desenvolvidas pela Embrapa desde 1999, de acordo com o pesquisador do órgão, Luadir Gasparotto. O fitopatologista afirma que as condições naturais do Amazonas são ideais para aumentar a produtividade.

“A ideia é transferir o conhecimento para os produtores. A produtividade é extremamente baixa, de 7 a 8 toneladas por hectare, e estamos mostrando que pode chegar de 20 a 25 toneladas por hectare. Queremos aumentar a longevidade do plantio em até 15 anos, porque nosso plantio não dura mais que três anos. O estado tem todo o potencial de aumentar a produção pelo menos para suprir o consumo da população. Temos sol, chuva e terra para produzir” atesta Gasparotto.

Produção – De acordo com dados do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal do Amazonas (Idam), o Amazonas produziu 8 milhões de cachos de banana em 2019. A quantia representa 2,2% da produção nacional, que fechou o ano com 7,1 milhões de toneladas.

Presidente Figueiredo, Manicoré, Rio Preto da Eva e Manacapuru são os principais produtores da fruta no Amazonas. O plantio da cultura ocupa 11 mil hectares no estado, além de envolver 13,5 mil agricultores na atividade.

Dia de Campo – O Dia de Campo é uma metodologia para compartilhar técnicas resultantes de pesquisas da Embrapa, relacionadas à produção rural. A atividade envolve técnicos, agricultores, pesquisadores e estudantes, entre outros.

As orientações para o plantio de banana serão apresentadas também nas próximas edições do Dia de Campo: no dia 11 de fevereiro, na Estrada da Várzea, em Silves; e no dia 18, na Estrada do Caldeirão, em Iranduba.

.

.

.

Fotos: Rogério Campos/Secom

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here