Traficante “Jiraya”, que torturava com espada, morre durante visita íntima

Um dos mais perigosos bandidos de Minas Gerais, Felipe Souza da Cruz, de 30 anos, mais conhecido por “Jiraya”, morreu após sofrer uma parada cardíaca durante uma visita íntima no presídio onde estava detido, em Francisco Sá, norte de MG.

As informações são do jornal O Tempo.

“Jiraya” era um poderoso traficante, considerado líder do tráfico do Citrolândia, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Após a morte dele, houve rumores de um possível toque de recolher na região.

Ele era suspeito de liderar uma organização criminosa, além de ter acusações por homicídio. Felipe foi alvo de cinco prisões preventivas por tráfico, envolvimento com o crime organizado e o assassinato de três pessoas. Em Betim, ele possuía passagens por porte ilegal de arma de fogo, corrupção de menores e associação criminosa.

TORTURA

Suspeito de ter ligações com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), “Jiraya” era conhecido por torturar seus inimigos usando uma espada de samurai.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here