A Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) entrou no radar da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República. O coordenador do projeto estratégico de tecnologias biológicas para erradicação de doenças tropicais, do Governo Federal, Ronan Tanus, palestrou, na manhã desta segunda-feira (16/09) na unidade, onde está em visita para conhecer sobre os projetos de pesquisas desenvolvidos na instituição, referência internacional na área.

O representante do Governo Federal afirmou que o projeto federal identifica as atividades que podem ser financiadas. “Trabalhamos com os recursos que temos e pedimos dos órgãos executores para que deem prioridade para estes projetos. Existem sete projetos estratégicos, o de saúde é específico para as chamadas doenças negligenciadas”, disse.

As doenças negligenciadas são as principais causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo. O termo se deve ao fato do pouco interesse da indústria farmacêutica em investimentos em pesquisas, produção de medicamentos e vacinas, por considerar o retorno lucrativo baixo.

Malária, doença de Chagas, leishmaniose e filariose estão entre as doenças prioritárias do Governo Federal. Tanus afirmou que, desde o começo do ano, está visitando instituições de pesquisa pelo Brasil. A FMT-HVD é a única da região norte no primeiro momento de visitas. Porém, o coordenador ressaltou que a intenção é visitar todas as instituições que fazem pesquisas na área de doenças tropicais. “Já visitamos outras instituições e já identificamos alguns programas que foram trabalhados para que a gente consiga colocar no plano orçamentário, via Ministério da Economia”, disse.

O diretor de Pesquisa da FMT-HVD, Dr. Wuelton Marcelo Monteiro, afirma que a visita é motivo de honra para os pesquisadores da Fundação. “Uma grande oportunidade para a gente conseguir articular ações, em conjunto com essa secretaria, para área de interesse nossa, que é o atendimento em doenças infecciosas e parasitárias, especialmente aquelas doenças consideradas negligenciadas, que são essas que afetam áreas remotas, que atingem as populações mais vulneráveis”, disse.

O pesquisador lembrou que as áreas ribeirinhas e de populações indígenas são do escopo de quem faz medicina tropical. Disse ainda que a visita, além de possibilitar aplicação de recursos financeiros, é uma grande oportunidade de integrar conhecimento com uma área tão importante do governo que está preocupada com ações de médio e longo prazo. Wuelton Monteiro destacou ainda que um diferencial nas pesquisas da FMT-HVD são os estudos de casos, pois, além de pesquisas, a Fundação atua na área de atenção ao paciente.

Durante a palestra, Ronan Tanus afirmou que a eliminação das doenças Tropicais é uma prioridade do Governo Federal. Já há, segundo ele, estudos de propostas para direcionar, não apenas recursos para o financiamento de pesquisas na área, mas também, bolsas de pesquisas específicas para doenças tropicais.

A FMT-HVD conta com o programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical (PPGMT), um dos únicos programas de pós-graduação em Medicina Tropical/Doenças Infecciosas da Região Norte do Brasil. Com uma única área de concentração em Doenças Tropicais e Infecciosas, apresenta caráter interdisciplinar e multiprofissional, constituindo-se em espaço acadêmico para formação de mestres e doutores, em parceria com a Universidade Estadual do Amazonas (UEA).

Na pesquisa, conta com os estágios curriculares dos cursos da área de saúde e programas de iniciação científica. Nesta última atividade, 664 bolsistas já passaram pelos laboratórios da FMT-HVD, desde 2001, no início com recursos próprios e depois com bolsas da Fapeam. Destaca-se, ainda, a manutenção de programas de residência médica, desde o início da década de 1980, formando médicos infectologistas, dermatologistas, pediatras e hepatologistas.

FOTOS: CLÁUDIO HEITOR/SECOM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here