© Foto: Christian Kaspar-Bartke/Bongarts/Getty
Mick Schumacher é o grande campeão da temporada 2018 da F3 Europeia. Neste sábado (13), após uma primeira corrida complicadíssima envolvido em acidentes, o alemão fez uma segunda prova jogando com o regulamento. Largou em segundo e por lá ficou, apenas cercando Jüri Vips e, com os 18 pontos, garantiu o caneco.
Vips, com a quarta vitória em 2018, subiu para o terceiro lugar no campeonato e ainda tem chances matemáticas de ser vice-campeão. Seu compatriota, o mais experiente Ralf Aron, também foi ao pódio no terceiro lugar.

Dan Ticktum fez o que deu, mas a distância para o rival alemão era muito grande. Além dos 39 pontos de desvantagem, o britânico saiu apenas de 15º no grid e, por mais que tenha feito boa corrida, parou na sétima colocação.

A segunda corrida foi bem mais morna que a primeira, que teve um festival de bandeiras amarelas. Desta vez, os pilotos se comportaram bem mais, apesar do ímpeto de Ticktum vindo do fundo do grid.

Jehan Daruvala chegou no quarto lugar, com Robert Schwartzman e Fabio Scherer também completando a corrida na frente de Ticktum. O top-10 ainda teve Álex Palou, Jonathan Aberdein e Nikita Troitskiy.

Schumacher tem 19 anos e fazia sua segunda temporada completa na F3 Europeia. O alemão venceu oito corridas, sendo cinco delas de forma consecutivas.

Apesar de ter sido sondado pela Toro Rosso e ter tido a possibilidade de subir direto para a F1, o jovem alemão já deixou claro que tem interesse de fazer, primeiro a F2, seu provável destino em 2019.

Schumacher valoriza apoio da Prema “nos piores momentos” e vibra: “Estou vivendo um sonho”

Mick Schumacher sacramentou a conquista da temporada 2018 da F3 Europeia neste sábado (13). Após a corrida 2, prova em que se recuperou do revés da primeira corrida e que fechou a fatura, o alemão lembrou dos momentos difíceis do ano em que esteve na décima posição do campeonato e se emocionou ao festejar o título.
Segundo o jovem de 19 anos, o momento é de viver um sonho, saindo vitorioso no automobilismo.
“É difícil encontrar palavras para descrever isso. Estou muito grato por poder estar vivendo isso, por poder estar vivendo esse sonho. Nós fazemos o que amamos, então também conseguir ter uma grande performance é o melhor sentimento possível”, disse.

Mick lembrou que teve momentos muito ruins na temporada e, por isso, valorizou o apoio que recebeu da Prema nessas horas e também na hora de decidir, logo após ter errado algumas vezes na corrida 1.
“Tenho um grande time comigo, pessoas com quem posso contar para relaxar. Isso foi chave para mim, para seguir fazendo o que preciso, focado em andar rápido, apenas isso”, seguiu.
Além de reiterar o suporte da Prema, Schumacher também elogiou a preparação da equipe e o trabalho no carro, afinal, além do campeão, a equipe ainda tem outros três pilotos no top-6: Robert Shwartzman, Marcus Armstrong e Ralf Aron, todos atrás de Dani Ticktum e Jüri Vips, da Motopark.
“Nós trabalhamos muito duro o ano todo. Talvez o início do ano não tivesse refletido o que fizemos, mas conseguimos evoluir. A equipe me deu total suporte mesmo nos piores momentos”, completou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here