Thais Rejane Barboza Alves, de 32 anos, confessou ter tramado o crime que resultou no assassinato da cunhada dela, a estudante Luana Freire, 19, morta a facadas ontem (3) dentro da própria casa, no conjunto Ouro Verde, bairro Coroado, Zona Leste de Manaus. Segundo Thais, ela quis dar uma “lição” à família da vítima, mas deveria ser só um “susto”. Hoje, ela diz estar arrependida e afirma que contou com a ajuda de um comparsa.

Toda a motivação do crime foi confirmada pela própria Thais nesta manhã durante coletiva de imprensa na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Ela era casada com o irmão de Luana e foi quem acionou a polícia após “encontrar” o corpo da estudante, junto de um funcionário de uma academia que fica na parte debaixo do imóvel. Thais morava na casa com o marido, irmão de Luana, uma filha, além da vítima e o casal de sogros.

Ainda na manhã de ontem ela foi presa. Ao confessar a autoria do crime, Thais explicou ter raiva da família do esposo por ter sido acusada por eles de cometer furtos no imóvel. Porém, ontem também, Thais havia levado R$ 7,5 mil referentes ao dízimo de uma igreja que a mãe de Luana guardava em casa por ser tesoureira da instituição religiosa.

Versão fantasiosa

Durante a coletiva, Thais afirmou ter contado com a ajuda de um homem, identificado como “Wilis”, para cometer o crime. “Eu não matei a Luana, só queria dar um susto. Um mês atrás mais ou menos eles falaram que eu tinha roubado dinheiro da igreja. Ficou uma situação estranha em casa. Foi uma idiotice minha porque eu nunca tinha feito isso. Claro que eu estou arrependida, eu não queria que ele matasse a Luana”, afirmou Thais.

A versão sobre a participação de um comparsa, segundo o delegado Orlando Amaral, titular da DEHS, é fantasiosa. Thais disse que combinou com Wilis para que ele roubasse o dinheiro e ficasse com o valor. Porém, depois, o rapaz, que não foi encontrado pelos policiais, teria deixado o dinheiro em uma lixeira próxima ao local do crime, onde a cunhada de Luana o pegou.Segundo Thais, Wilis seria o autor das facadas que levaram Luana a óbito.

“Eu só esperava que ele fizesse o assalto à casa e ficasse com o dinheiro. Ele deixou o dinheiro no lixo porque disse que não podia ficar andando com o dinheiro na mão e mais tarde me procuraria. Eu orientei ele a bagunçar as coisas (na casa) e pegar o dinheiro que tinha que pegar. Eu não iria pagar nada para ele, o dinheiro que ele roubasse era dele”, declarou Thais, que também disse ter conversado três vezes com Wilis a respeito do crime antes de ele acontecer.

Dinheiro recuperado

O delegado Orlando Amaral afirma que Thais não consegue dar características como, por exemplo o sobrenome e o endereço de Wilis. Mas a versão ainda não foi descartada e o caso segue sendo investigado. Todo o valor roubado foi recuperado e devolvido à família.

Thais foi autuada em flagrante por homicídio qualificado e, ao término dos procedimentos na DEHS, será levada para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch Reis, na Zona Sul de Manaus.

Fonte: https://www.acritica.com/channels/manaus/news/mulher-confessa-ter-tramado-assassinato-de-cunhada-para-dar-licao-a-familia-da-vitima

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here