Imagem: Acritica

Conversas telefônicas interceptadas pela Polícia Federal apontam que empresário Murad Aziz, irmão do senador Omar Aziz, recebia vantagens para auxiliar em um esquema de desvio de dinheiro da Saúde do Amazonas.

Imagem: Portal CM7

Em um dos diálogos, o empresário usa o termo “remédio” para se referir ao dinheiro cobrado pela ajuda. Ele está entre os 11 presos da operação “Cashback, realizada na quinta-feira (11) em Manaus.

De acordo com a Polícia Federal, Aziz atuava como lobista conforme os interesses das empresas de Mouhamad Moustafa, preso em 2017 na operação “Maus Caminhos”.

Em maio de 2015, um diálogo entre os empresários mostra que Murad agradece a Mouhamad, após supostamente receber a quantia de R$ 300 mil, referentes a contratos de ambulâncias. Ele utiliza a palavra “remédio” para se referir ao dinheiro.

Após o recebimento, Aziz ainda solicita o pagamento de R$ 25 mil para Moustafa, o qual afirma que entregaria o valor para uma mulher que, segundo a polícia, era secretária particular de Murad.

Ainda segundo as investigações, a pedido de Murad, Mouhamad também teria pago em 2014 o valor de R$ 1,5 milhão para a realização de dois jogos de um time de futebol carioca em Manaus. A Polícia Federal localizou o documento de transferência que comprova o pagamento, efetuado em três parcelas, com dinheiro das empresas de Moustafa.

A Polícia Federal afirma que Murad Aziz cobrava propina de empresários que tivessem interesse em participar das licitações do governo. Em depoimento, uma empresária relata que foi extorquida por Murad para continuar a prestar serviços para a Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

Ainda segundo a empresária, em 2011, ela recebeu um pedido de R$ 20 mil que seria utilizado por Murad em uma viagem para Miami (EUA). A empresária afirma que Aziz, ao saber que não receberia o dinheiro, disse: “Todo mundo tem que pagar. O Estado é nosso. Eu sou irmão do governador”.

Imagem: G1

Murad Aziz se entregou à Polícia Federal nesta quinta. Na tarde desta sexta-feira (12), ele foi conduzido algemado ao Instituto Médico Legal(IML) antes de seguir para o presídio. Em seguida, ele foi levado para o Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2), onde também está o ex-governador José Melo, preso por envolvimento no mesmo esquema.

A defesa do empresário Moustafá informou que não vai falar sobre a investigação. A reportagem tentou contato com a defesa de Murad Aziz, mas não obteve sucesso.

Envolvimento

A prisão de Murad faz parte da operação “Cashback”, deflagrada na quinta-feira (11) pela Polícia Federal, que investiga uma quadrilha suspeita de desviar recursos públicos destinados à Saúde no Amazonas.

A operação é resultado da perícia realizada em celulares e computadores dos suspeitos identificados na “Maus Caminhos”. A análise identificou trocas de mensagens entre os investigados e descobriu mais empresários, advogados e políticos envolvidos no esquema de corrupção, com falsificação de notas fiscais, empresas fantasmas e lavagem de dinheiro.

Nesta nova fase os alvos são, ao menos, 30 empresas que não tinham sido investigadas nas outras etapas da operação. O grupo detém cerca de 90% dos contratos do estado e teria emitido R$ 100 milhões em notas fiscais frias.

Fonte – G1 Amazonas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here