AMAZONAS –  Mais de 100 mil pessoas foram alcançadas pelos projetos sociais da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) no primeiro semestre deste ano.

Os quatro projetos em andamento enfocam áreas sensíveis como a violação de direitos de crianças e adolescentes, idosos e mulheres, a violência na escola e o combate às drogas, oferecendo inclusive atendimento psicossocial e encaminhamento de dependentes químicos para tratamento terapêutico em clínicas de reabilitação.

Segundo o secretário de segurança, coronel Anézio Paiva, o fortalecimento dos projetos sociais é parte essencial da estratégia de combate ao crime. Na SSP-AM, o Departamento de Prevenção da Violência é quem toca as iniciativas e atua em articulação com outros órgãos da segurança pública, secretarias de governo, órgãos de outras esferas e entidades filantrópicas.
“O enfrentamento da violência é uma equação complexa que envolve, de um lado, maior presença e atuação das polícias para coibir atos ilícitos, prender e entregar à Justiça os infratores e o reforço da estrutura de policiamento. Na outra ponta está o emprego do aparato social, no sentido tanto de orientar a população a buscar seus direitos e não se calar diante de uma violação, quanto apresentando alternativas para que as pessoas não se deixem influenciar pela suposta vida fácil do crime”, disse Paiva.
Após uma série de denúncias e até casos criminais, a SSP-AM iniciou uma ação policial nas proximidades das escolas estaduais em Manaus. Investigações conduzidas pela Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), o braço operacional da SSP, culminaram na prisão de cinco pessoas, em diversos bairros, que vendiam drogas nas vizinhanças de escolas, inclusive a estudantes. Foi a partir disso que surgiu o “Prevenção e Segurança nas Escolas”, que já alcançou mais de cinco mil pessoas, entre alunos, professores e pais nas escolas Senador Manuel Severiano Nunes, no Alvorada, e Padre Pedro Gislandy, na Compensa.
“Conseguimos chegar ao que queríamos: preparar o corpo docente, os pais, os policiais da região e os alunos. Um aprendizado muito grande na prevenção à violência e às drogas. Produzimos em cada escola um plano, que é a materialização desse projeto, que é a estratégia que será adotada daqui para frente para enfrentar a violência e as drogas pelas unidades de ensino”, enfatiza o capitão da Polícia Militar, Guilherme Sette, chefe do Departamento de Prevenção da Violência da SSP. Um levantamento feito com a Seduc identificou 21 escolas estaduais da capital consideradas mais críticas e que serão atendidas nesta primeira etapa.
‘João e Maria’ – Outra iniciativa é o “João e Maria”, voltado à prevenção da violência contra crianças e adolescentes, idosos e mulheres. Realizado em parceria com diversos órgãos, incluindo o Ministério Público do Trabalho (MPT), a primeira fase da ação ocorreu em 229 escolas da capital e atingiu 100 mil pessoas, com palestras sobre a violação de direitos dos grupos vulneráveis e estímulo a realização de denúncias.
As palestras são ministradas por policiais militares, policiais civis e bombeiras militares. Há um mês o projeto está em Rio Preto da Eva e, no próximo dia 13 de junho, começa em Iranduba.
Para os idosos, a SSP-AM também realiza o projeto de inclusão digital, com aulas de informática básica e avançada e palestras que orientam sobre os direitos dos idosos, em temas como previdência e segurança pública. Atualmente, 120 idosos estão fazendo curso.
Reabilitação para dependentes químicos – De janeiro a maio deste ano, 47 pessoas foram direcionadas ao tratamento terapêutico para se livrar do vício das drogas. O público foi identificado principalmente na região da Manaus Moderna, centro, zona sul, e Fuxico, no bairro Jorge Teixeira, zona leste.
Adolescentes e adultos que precisam de auxílio e, voluntariamente, querem a internação passam por avaliação e acompanhamento psicossocial antes de iniciarem o tratamento. A ação é feita em parceria com as Secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e de Assistência Social (Seas).
Os processos de atendimento psicossocial e acolhimento são feitos pelo Programa de Prevenção à Violência e Combate ao Uso de Narcóticos e Entorpecentes (Previne), da SSP-AM. O Previne viabiliza a internação na Fazenda Esperança, localizada no Km 15 da rodovia BR-174 (Manaus – Boa Vista), e no Centro  de Reabilitação em Dependência química (CRDQ), localizado no Km 53 da Rodovia AM-010 (Manaus – Itacoatiara).
“Temos convicção de que a diminuição da criminalidade passa também por um trabalho efetivo e sistemático de combate às drogas, pois a criminalidade e as drogas caminham juntas. A droga tem sido, ao longo dos anos, e agora cada vez mais evidente, um grande flagelo social. Entendemos que a forma mais eficaz de combatê-la é trabalhando na prevenção, no intuito de se criar, principalmente nas crianças e jovens, uma consciência preventiva dos malefícios da dependência nas drogas”, disse o secretário de Operações da SSP, tenente-coronel Klinger Paiva.
Prevenção às drogas – Coordenado pela SSP-AM, o Previne já certificou em mais de nove anos de atuação no Amazonas, cerca de 20 mil pessoas de todos os segmentos sociais. A equipe pedagógica formada por psicólogos, assistentes sociais e pedagogos já percorreu todos os municípios amazonenses levando a mensagem de prevenção às drogas e formando multiplicadores entre pais, estudantes, professores, políticos, religiosos, policiais entre outros. O material didático é preparado especialmente para atender as peculiaridades de cada região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here