A Semana de Intensificação Vacinal realizada pela Prefeitura de Manaus, no período de 26 a 31 de agosto, superou a meta mensal para a imunização de crianças menores de um ano, chegando a 137,31%. Com uma meta de vacinar 3.208 crianças menores de um ano em um mês, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) atingiu durante a intensificação um total de 4.405 crianças nessa faixa etária.

Para o prefeito Arthur Virgílio Neto, o sucesso da campanha comprova que Manaus é exemplo quando se trata de alcançar metas vacinais determinadas pelo Ministério da Saúde. Ele também lembrou que a semana de intensificação foi uma campanha municipal e que, a partir de agora, todo o último final de semana do mês haverá uma grande mobilização nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para se manter as vacinas das crianças atualizadas.

“Decidimos que vamos dedicar todo o último final de semana do mês para cobrirmos de vacinas o nosso povo. Realizamos esta semana de intensificação e alcançamos esses 137% nas crianças até um ano e 95% nas crianças até dois anos e, assim, vamos ampliar e manter a cobertura vacinal em Manaus”, explicou Arhtur.

Para o secretário da Semsa, Marcelo Magaldi, os números são dados positivos para o trabalho realizado em uma semana, o que confirma que a população aderiu ao movimento. Porém enfatizou que ainda aguarda a consolidação no número de doses aplicadas no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) para, a partir daí, se ter a situação atualizada da cobertura de imunização da população em Manaus, de acordo com o tipo de vacina.

A meta da prefeitura com a intensificação era ampliar a cobertura vacinal de crianças menores de dois anos, passando de 85% para o mínimo de 95%, como recomendado pelo Ministério da Saúde. Para isso, todas as Unidades de Saúde intensificaram a oferta das vacinas recomendadas para crianças menores de dois anos: Pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB); Pneumocócica (pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo); Poliomielite; Rotavírus; Meningocócica (previne a doença meningocócica C); Febre Amarela; Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola); Tetra Viral; (sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora); Hepatite A; e DTP (Difteria, tétano e coqueluche).

“A semana de intensificação foi encerrada no sábado, 31 de agosto, quando 136 Unidades de Saúde funcionaram de forma excepcional, no horário das 8h às 12h. E o prefeito Arthur Virgílio Neto já determinou que na última semana de cada mês seja realizada a intensificação vacinal, para reduzir riscos da reintrodução de doenças. Uma das preocupações é o risco da volta da poliomielite, uma doença que deixa sequelas gravíssimas e irreversíveis, então precisamos estimular que pais e responsáveis levem as crianças para vacinação”, disse o secretário.

Salas de vacina

O município de Manaus conta com 183 salas de vacina para a imunização de crianças, adolescentes, adultos e idosos, e que ofertam o serviço durante o ano todo. Dez unidades de saúde da rede municipal ainda funcionam em horário ampliado, de segunda a sexta-feira, até 21h, e aos sábados, das 8h às 12h. A lista das salas de vacina pode ser acessada no site da Semsa, o semsa.manaus.am.gov.br.

A diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Deave/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira, destaca que, apesar de Manaus ter registrado o último caso confirmado no sarampo no mês de janeiro, o vírus da doença continua circulando no Brasil, inclusive com três mortes confirmadas no Estado de São Paulo.

Além disso, a Organização Pan Americana de Saúde (Opas) tem feito alertas para o aumento de casos de difteria na Venezuela, uma doença prevenida por vacina e que pode provocar complicações como insuficiência respiratória, problemas cardíacos e neurológicos, e insuficiência dos rins.

Fotos – Alex Pazuello / Semcom

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here