BNDES selecionará fundos para apoiar negócios com impacto socioambiental

·        Recursos privados vão compor pelo menos 75% do capital de cada fundo, alavancando investimentos e compartilhando risco ·        Negócios investidos deverão combinar impacto socioambiental e resultado financeiro positivo ·        Banco espera levantar pelo menos R$ 800 milhões para esses investimentos ·        Lançamento encerra Semana de Impacto do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) selecionará até três fundos de investimento em participações (FIPs) voltados a negócios de impacto, ou seja, empreendimentos com objetivo de gerar efeitos socioambientais e resultados financeiros positivos de forma sustentável. Com o objetivo de atrair investimentos privados para essa finalidade, o BNDES aplicará até 25% do valor total de cada fundo, que terá de captar o volume restante no mercado. A expectativa é que os fundos sejam selecionados em novembro e que sejam levantados ao menos R$ 800 milhões para investimentos, entre recursos do BNDES e de outros investidores.
Com a iniciativa, o Banco procura estimular negócios que apoiem a transformação da sociedade e a melhoria da vida dos brasileiros sob diversos aspectos, como gestão de resíduos, moradia, acessibilidade digital, meio ambiente, transporte, recursos hídricos, saneamento básico e educação. A ação está em linha com o Plano Trienal 2020-2022 do BNDES e com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).
O lançamento da chamada pública encerra a Semana de Impacto BNDES, que contou com participantes nacionais e estrangeiros. No início da semana, foram abertas as inscrições para a edição 2021 do BNDES Garagem, voltado à aceleração de startups de impacto socioambiental. Assista aos debates aqui.
“A chamada pública para a seleção de fundos de investimento de impacto, somada ao novo BNDES Garagem, representa o mais vigoroso apoio integrado, estruturante e sistêmico já efetuado historicamente pelo BNDES. Ela segue a estratégia da BNDESPar, de incentivar o investimento em ações de impacto no país, em prol da agenda AGS (Ambiental, Governança e Social) e de desenvolvimento do mercado de capitais no país”, disse Bruno Laskowski, Diretor de Participações, Mercado de Capitais e Crédito Indireto do BNDES.
A chamada dos fundos de impacto conta com duas modalidades, de acordo com o porte das empresas. Serão selecionados até dois fundos na modalidade FIP Impacto MPME, com foco em empresas que apresentem receita operacional bruta de até R$ 90 milhões no ano imediatamente anterior ao aporte do fundo. Nesse caso, cada fundo deverá ter como meta a captação de pelo menos R$ 200 milhões. Na modalidade FIP Impacto Livre, poderá ser selecionado um fundo que invista em empreendimentos sem limite de receita, devendo ter como perspectiva um capital comprometido mínimo de R$ 400 milhões.
Considerando-se esses valores, caso sejam contratados os três fundos, a iniciativa do BNDES alavancará pelo menos R$ 800 milhões para investimento em negócios de impacto. Como regra, as equipes dos fundos que concorrerão na chamada pública e suas bases operacionais deverão estar sediadas no Brasil.
Seleção – Será avaliada a estrutura da proposta. considerando-se a tese de impacto do fundo e dimensões como a estratégia de formação de portfólio e o investimento em empreendimentos oriundos de regiões periféricas, a composição de custos e a captação de recursos. A comissão, formada por profissionais do BNDES, também avaliará a equipe do gestor, sua diversidade de gênero e de etnia, além da inclusão de pessoas com deficiência, entre outros critérios. Serão ainda analisadas as metodologias de mensuração do impacto socioambiental das empresas investidas. As propostas poderão ser submetidas ao BNDES até 13 de agosto.

Investimento de Impacto – De acordo com a Global Impact Investing Network (GIIN), o valor do mercado mundial de negócios de impacto vem crescendo de forma consistente, tendo passado de US$ 77 bilhões em 2015 para US$ 502 bilhões em 2018 e chegando a US$ 715 bilhões em 2019. Contudo, os ativos classificados como investimento de impacto sob gestão de fundos no Brasil totalizaram US$ 785 milhões no período 2018-2019, o que corresponde apenas a 0,11% do montante global.
A chamada é mais uma iniciativa do BNDES para transformar a vida de gerações de brasileiros, promovendo desenvolvimento sustentável. No site do BNDES (https://www.bndes.gov.br/ods) é possível identificar o impacto do BNDES sob a perspectiva socioambiental ao verificar o volume de recursos aplicados pelo Banco segundo cada um dos ODS.
FIPs – A atuação da BNDESPar por meio de FIPs amplia o acesso das empresas – especialmente as de pequeno e médio portes, que encontram mais dificuldade para obter crédito do que as maiores – a capital de longo prazo e estimula melhorias em sua gestão, dinamizando o mercado brasileiro. Os fundos também alavancam os investimentos com recursos privados e diluem o risco entre diferentes agentes.
Em março de 2021, os FIPs dos quais o BNDES possuía cotas investiam em mais de 200 empresas, localizadas em 21 unidades da federação. Na ocasião, o capital comprometido do Banco em fundos de participação em empresas e crédito totalizava R$ 4,3 bilhões, que, somados aos recursos de outros investidores também aplicados nestes fundos, totalizava R$ 23 bilhões. Ou seja, para cada R$ 1,00 que o BNDES comprometeu em investimentos via FIPs, aproximadamente R$ 4,35 foram alocados por outros investidores.
Mais informações sobre a seleção, além do edital, estão disponíveis em www.bndes.gov.br/chamadafundoimpacto2021.

Sobre o BNDES – Fundado em 1952 e atualmente vinculado ao Ministério da Economia, o BNDES é o principal instrumento do Governo Federal para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira. Suas ações têm foco no impacto socioambiental e econômico no Brasil. O Banco oferece condições especiais para micro, pequenas e médias empresas, além de linhas de investimentos sociais, direcionadas para educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e transporte urbano. Em situações de crise, o Banco atua de forma anticíclica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here