Pré-candidata à prefeita, Maria do Carmo fala de ações para o Centro Histórico de Manaus

A empresária e reitora da Fametro participou de uma entrevista na Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas (Fecomércio-AM), onde destacou suas principais propostas de governo.

Como forma de promover cidadania e democracia, possibilitando que o eleitor conheça mais dos pré-candidatos à Prefeitura de Manaus, a Fecomércio-AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas) tem realizado uma série de entrevistas. Nesta quinta-feira, 4/7, foi a vez da pré-candidata do partido Novo, Maria do Carmo Seffair, expor suas ideias e soluções aos principais problemas da cidade.

“Manaus precisa de um choque de gestão, porque são problemas de toda ordem. É necessária uma atuação integrada entre diversos órgãos para se fazer uma frente ampla: segurança, saúde, educação, trânsito e transporte. Tenho experiência e um planejamento para fazer nossa cidade voltar a se desenvolver. São, pelo menos, 20 anos de declínio”, afirmou Maria do Carmo.

Debatendo principalmente o Centro Histórico de Manaus, a entrevista teve a participação do presidente da Fecomércio-AM, Aderson Frota, e do vice-presidente, Teófilo Gomes, representando os todos que entendem a importância da região para o turismo, para identidade e para a valorização da cidade.

O turismo, aliás, teve protagonismo na conversa, uma vez que o Centro abriga os principais patrimônios históricos e culturais de Manaus, que são no mundo todo grandes atrativos para atrair novos visitantes, desde que conservados, valorizados e que contem com toda uma rede logística e incentivos.

“Todas as grandes cidades têm seus centros valorizados. Nossa proposta é repovoar o Centro de Manaus, levando para lá, inclusive, a sede da Prefeitura”, destacou a pré-candidata. Segundo ela, a proposta passa pela revitalização de prédios, resgate de todo o entorno da Matriz e outros espaços, novo modelo de transporte, iluminação e segurança.

“Além do transporte fluvial, que vai do Centro ao Puraquequara, teremos também o VLP [Veículo Leve sobre Pneus] em todo o quadrilátero da catedral da Praça da Matriz”, completou Maria.

Mercado de Origem

Outro destaque entre os projetos apresentados pela empresária, que está à frente do Grupo Fametro, do Tropical Hotel e da Santa Casa de Misericórdia, é a criação de um Mercado de Origem na área do complexo Booth Line, que foi construído em meados do século 19.

Os Mercados de Origem foram pensados para ser uma central de distribuição dos pequenos produtores agrícolas, fazendo a aproximação com o consumidor final, sem a necessidade de um atravessador. Modelos de sucesso são referência em Belo Horizonte e no interior do Estado de Minas Gerais.

FOTOS: Dalton Souza / Novo-AM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui