BRASIL – Em audiência de custódia, na manhã deste domingo (22), no Fórum Bela Vista, foi deliberado que Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), prefeito interino de Bariri (56 quilômetros de Bauru), permanece preso.

Além de ter mantido o flagrante, a prisão foi convertida em preventiva pela juíza plantonista Ana Lúcia Graça Lima Aiello.

Após a audiência de custódia, Araújo foi levado à delegacia Central de Barra Bonita para a finalização do inquérito e ficará à disposição da Justiça preso na Cadeia da cidade. “Nesses casos, geralmente, há a transferência para a Penitenciária de Iaras dentro de alguns dias. Agora, o processo deve seguir pelo Tribunal de Justiça, por conta do foro privilegiado”, afirma o advogado de acusação, Marcus Almeida.

Ainda segundo Almeida, em juízo, Paulo Henrique não confessou o crime. “Na delegacia, ontem, ele fez uso do direito de permanecer calado e, hoje, em juízo, ele negou os fatos, mas também não soube explicar o que estava fazendo ali. Também em juízo, ele disse que veio a Bauru para uma festa na sexta e não se recorda se fez uso de substâncias”, declara.

Familiares e amigos da vítima aguardaram o final da sessão fora do Fórum. “Uma coisa dessa não deve mesmo ficar impune. Da mesma forma que aconteceu com ela, poderia ter acontecido com outras crianças por aí. Isso acaba com a infância da criança. Tudo que nós queremos é justiça”, diz uma parente da menina. “Ela não dormiu durante a noite, acordou várias vezes, está traumatizada. A família toda está abalada”, completa.

Na saída do fórum, o advogado de defesa do prefeito, Humberto Pastrello, não quis comentar o caso. A reportagem também tentou contato telefônico, porém, sem sucesso.

RELEMBRE O CASO
Uma menina de 8 anos, cuja identidade será preservada em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), moradora do Núcleo Habitacional José Regino, em Bauru, foi vítima de suposto estupro na manhã de ontem. O acusado é o prefeito interino de Bariri (56 quilômetros de Bauru), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), que foi preso. Segundo a Polícia Civil, ele se reservou o direito de só falar em juízo.
De acordo com a Polícia Militar (PM), a criança saiu de casa para comprar pão e teria sido levada até o Vale do Igapó pelo prefeito, de onde conseguiu fugir e retornar para casa. Araújo foi localizado pela PM e levado ao Plantão Policial de Bauru, onde prestou depoimento na tarde de ontem. Ele está preso na Cadeia de Barra Bonita e passou por audiência de custódia hoje pela manhã, no Fórum de Bauru.

Moradores do bairro teriam visto a menina entrando em um Ônix de cor preta e acionaram equipes da PM. Durante a manhã, foram realizadas patrulhas pelo bairro e arredores, ainda de acordo com a PM. “No Vale do Igapó, uma de nossas equipes localizou um indivíduo bastante alterado, sem camisa e de calça jeans. Ele tentou fuga e entrou em luta corporal com os policiais.

Depois, indicou, escondido dentro do mato, onde estava o veículo, que confere com as informações iniciais da polícia”, afirmou o tenente Michel Collis Prieto, que acompanhou a ocorrência. O suspeito foi atendido na UPA do Bela Vista antes de ser levado à delegacia.

A vítima fez o reconhecimento por fotografia e afirmou que é o prefeito sem nenhuma dúvida. A menina contou que o prefeito a mandou baixar as calças, porém não confirmou se houve outro tipo de abuso, o que será apontado pelos médicos, ainda de acordo com a PM. Ela foi atendida e depois liberada na UPA do Bela Vista.

Fuga após o carro cair em buraco
Familiares da menina relataram que era comum que ela fizesse o trajeto até a padaria e que tanto ela quanto a família são bastante conhecidos no bairro.
“A padaria fica perto de casa, coisa de três quarteirões”, informou uma prima da vítima. “Ele disse para a menina que era um policial militar disfarçado e que era muito perigoso que ela andasse sozinha, por isso a levaria para casa. Uma conhecida da família viu e nos avisou. Entramos em desespero”. Ainda segundo ela, a criança revelou como conseguiu se desvencilhar do homem. “Quando o carro caiu no buraco, ele abriu a porta e pediu pra ela sair.

Ela correu sem rumo, em direção à represa, quando um casal achou estranho e conversou com ela, que estava muito abalada”, frisou. O caso foi registrado como estupro de vulnerável e o suspeito levado ontem à noite para a Cadeia de Barra Bonita.
Hoje pela manhã, está prevista audiência de custódia no Fórum de Bauru para definir a situação do prefeito interino. O JC tentou contato com a defesa, não obteve retorno.

Câmara de Bariri deve se reunir na segunda
A reportagem entrou em contato com vereadores de Bariri, que conversaram sobre o assunto ontem, mas, por conta de questões legais, só poderão tomar decisões a partir de amanhã, uma vez que a abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) ou pedido de cassação do mandato de Araújo só pode ser feita após a garantia de sua defesa. Ao todo, o Legislativo de Bariri conta com 11 parlamentares.

O vereador Francisco Leandro Gonzalez (PPS) disse ao JC que a próxima sessão ordinária da Câmara Municipal está marcada apenas para o mês que vem, mas, antes disso, os parlamentares pretendem se reunir de maneira extraordinária para a tomada de providências. A situação política do município é delicada, pois a chapa de prefeito e vice eleita em 2016 foi cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com isso, Araújo, na condição de presidente da Câmara, era o prefeito interino desde o ano passado.

Agora, ainda há dúvidas se o vice-presidente em exercício da Câmara, Vagner Mateus Ferreira (PSD), terá que ficar como prefeito interino, ou se a função caberá ao procurador-geral do município. A eleição para prefeito de Bariri já foi marcada pelo TSE e ocorrerá no dia 3 de junho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here